Cheia Mayani!

16 Luas, 16 meses. É assim que faço a contagem dos meses desde minha mudança para Goiás.  - Oi! Sou Mayani – mas você pode me chamar de Maya! Sou paranaense e tenho 31 anos. Moro em Goiás há 16 luas cheias, e me apaixonei pela escalada há 16 luas minguantes. Vem comigo nesse textão... Continuar Lendo →

Cheia Nay!

Meu nome é Nayara, tenho 27 anos, sou geógrafa e regida pelo sol em sagitário, sob ascendência em sagitário e a lua em touro. Observo que esses posicionamentos astrais sempre me levaram ao movimento e a minha vida é marcada por eles. Sou nascida em Brasília, numa junção amorosa, como assim gosto de dizer, entre... Continuar Lendo →

Cheia Lud

Meu nome é Ludmila. Tenho 31 anos, sendo que há 8 desses descobri o esporte que transformaria minha vida, a escalada, e que essa seria minha maior ferramenta de autoconhecimento e otimização de energia (Taurina, ascendente em Áries e Lua em escorpião). Aprendi a me conectar e estar presente enquanto escalava, a confiar em mim, a... Continuar Lendo →

Cheia Ana!

Meu nome é Ana Clara, tenho 24 anos, sou capixaba moradora de Brasília e comecei a escalar há 3,5 anos. Pratico esportes desde sempre e mesmo assim sempre fui descoordenada nas atividades normais da vida como andar na rua, segurar um copo... Apesar de sempre muito dispersa, quando eu decido que vou conseguir certa coisa... Continuar Lendo →

Cheia Mara

Me chamo Mara, tenho 43 anos e escalo há 25 anos. Sou fanática por esse esporte e muito pilhada. Quem me conhece sabe que a escalada significa muito pra mim. É algo tão natural que parece uma necessidade fisiológica. Quando escalo me transformo e essa transformação é quase uma evolução espiritual. A felicidade flui facilmente... Continuar Lendo →

Confia!

Por seis anos ou mais eu tomei anticoncepcional de forma contínua. Não queria menstruar. Ao contrário das mães que conheci, depois da gravidez descobri a cólica e logo fugi da dor que eu considerava insuportável. Achava o máximo não ter ciclo. Era muito melhor do que os "leves" sintomas da bomba de hormônios que eu... Continuar Lendo →

Cheia Jordana

Parafraseando Belchior: presentemente eu posso me considerar uma mulher de sorte. Digo, em partes sorte. A outra parte foi muita vontade mesmo. Lá atrás eu vislumbrei o que estou fazendo hoje. Pensava inocente e silenciosamente comigo: E SE eu VIVESSE a escalada? Será que é possível? Será que é loucura?” Vejam bem, no contexto em... Continuar Lendo →

Ouvir, sentir, construir

O que você escuta? O que você escreve? Somos um espaço de escrita, estimulando a materialização do verbo e a multiplicação dos entendimentos. A música é ferramenta disso. A poesia também. Os posts do Instagram. Os textos do nosso blog. Falando de música, é polêmica na pedra. Barulho? Inspiração? Vibe? Identidade? Não vamos discutir aqui... Continuar Lendo →

Iluminada e Cheia Renatha

Contar nossa história, por escrito, ligando a fase da lua com escalada e ser mulher exigiu 3 versões desse texto. Mamãe sempre dizia que a mulher muda. Mudamos mesmo. A mulher que você é hoje não é a mesma de 3 anos atrás; e a de hoje não será a mesma daqui uns meses. Mudamos... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑